terça-feira, 3 de abril de 2018

A CAMINHADA

Dizem que a corrida é a base dos outros esportes, é a mãe de todos eles.
Se isso é verdade, então a boa e velha caminhada é a avó.

É a ela que recorremos quando encontramos dificuldade para mantermos o fôlego e a velocidade.
A corrida exige.
A caminhada acolhe.


Corredores avançados não cogitam caminhar durante suas provas.
Em minha primeira participação na corrida de rua caminhei em três momentos numa prova de 5 quilômetros.
Conforme o condicionamento foi melhorando passei a correr do início ao fim.
Agora, faz tempo que não vejo a “vovó”.
Já prometi que uma hora dessas me inscrevo em uma prova de caminhada. Hoje em dia quase todos os eventos de corrida oferecem a opção (e a inscrição, geralmente, é mais em conta).
Tem camiseta no kit, medalha e frutas no final.
Acho que deveria ter bolachinha caseira também. Seria mais a cara das avós.



Às vezes penso em incrementar minhas corridas com caminhadas curtas, sem que comprometa o rendimento.
É uma experiência que ainda quero ter.
Não me refiro a caminhar por conta de cansaço, mas escolher um momento, ou dois, para desacelerar e retomar a força, “descansar em movimento”.

Correr é isso, é experimentar-se.
Caminhar não é menos.
Corra, caminhe, rasteje. Mas não pare.


Um comentário:

  1. Putz.. tudo o que eu gosto de correr eu não gosto de caminhar. :(

    Parece que a gente não chega nunca no ponto final... hehe.

    ResponderExcluir