segunda-feira, 8 de junho de 2015

CIRCUITO ESTADUAL DE CORRIDA UNIMED SANTA CATARINA 2015 - ETAPA ITAJAÍ - 31/05/2015

Quando eu era criança gostava muito de ver filmes de super-heróis.
Eu sonhava em um dia descobrir alguma capacidade maior que a de qualquer outro humano, como possuir uma força descomunal, enxergar através das paredes, voar, sei lá... soletrar de trás pra frente, lamber os cotovelos... qualquer coisa.

Mas desconfio que não serei mais picado por nenhuma aranha radioativa como o Peter Parker. Também não vou falar de uma teoria que o Einstein já apresentou para a humanidade e tudo o que eu ia patentear o Thomas Edison já fez. 
Fazer gargarejo com Coca-Cola é o que mais me aproxima de ter algum talento.
Pelo menos eu posso correr as etapas do Circuito Unimed de Corridas e faturar a mandala de cinco pontas. O Einstein não pode.
Logomarca do circuito
Então acordei cedo no domingo e troquei uma ideia com a mulher:


Um fato que pesa a favor desta etapa é que ela é organizada por um corredor, que além de competente é meu amigo. E quando o cara é meu amigo, se ele for competente a coisa acaba dando certo. Se não for competente, aí nem adianta ser meu amigo que vai continuar patinando no banhado. É questão de Física.
O Breno é um cara excepcional. Ele sabe onde o tênis do corredor aperta o calo.
É um síndico nato, faz manter-se a ordem da coisa. É a engrenagem que faz a máquina funcionar.
Senhoras e senhores, o Breno:
A foto não é muito atual
Enquanto alinhados para a largada comentei com o amigo Silvano que teríamos que sair fortes pra não ficar no tumulto que poderia se formar no portão que dá para a rua, onde dali os corredores se dispersariam.

- Tá vendo aquele portão Silvano?
E olha aí o pessoal se dispersando...
Essa gente sabe se dispersar...
O bom de praticar a corrida de rua é que você não depende de mais ninguém pra isso. Não que ela seja solitária. A corrida nos proporciona conhecer muita gente boa que gosta de fazer as mesmas coisas que gostamos. Gente que fala em pace, tiro e carboidratos sem destoar. 
Vá dizer pra quem não é do meio que você deu dez tiros de quatrocentos metros em pace de um e vinte... a pessoa te olha com cara de cálculo e comenta que tá muito bom, enquanto imagina você praticando os seus tiros:
Como assim de 400 metros?
Eu estava num bom dia, embora não goste de reconhecer quando tenho alguma disposição que é pra não relaxar. 
Eu não relaxo quando corro...

Mas às vezes finjo que está tudo sob controle...

Só que quase nunca está...
- Ai meu Deus! Ai meu Deus!
O percurso estava dentro das medidas e devidamente demarcado, o que não acontece na maioria dos casos, salvo o transtorno obsessivo compulsivo do meu relógio de GPS, que não o deixa cair na tentação do arredondamento.
Em relação ao kit de corrida, hidratação durante e depois da prova, frutas, isotônico e etc e tal não dava pra reclamar. Até água de côco tinha...
A premiação muito bacana também e pódio até o quinto lugar nas categorias. Acabei chegando em quarto na classificação geral dos 10 km, o que acontece tão raramente chegar entre os primeiros quanto um porco-espinho ir ao pet shop. 
Mas fiquei feliz e curti o momento. Foi a minha melhor marca na distância (37min55seg) e isso deu confiança pra manter o treinamento e o nível de corrida. Não me adiantaria querer tomar uma Coca-Cola se o meu trocado só dá pro Dolly Guaraná.
Quarto lugar geral nos 10 km
Olha o Lucas homenageando um amigo ogro...

Agora homenageando os demais ogros...
   
E eu homenageando a Danusia...
Olhando rápido dá impressão que tenho três dedos
E a etapa de Itajaí do Circuito Unimed foi assim, agradável e surpreendente.
Que venham as próximas corridas e que o ótimo nível de organização seja mantido. Não é porque o Breno é meu amigo...  

Mandala, mandala, mandala...
Próxima etapa em Mafra no dia 19 de julho.
Nos vemos lá.
Grande abraço.

Um comentário:

  1. Que honra, Marciano!

    Sem palavras para agradecer o post. A corrida é fantástica porque nos faz conhecer pessoas que talvez jamais tivéssemos contato ao longo da vida. E aí a gente se esbarra numa largada, já cumprimenta, dá/recebe uma mensagem de apoio durante a prova, se parabeniza na chegada e assim esse "ciclo virtuoso" vai fazendo com que conheçamos mais e mais pessoas, fazendo mais e mais amigos.

    Lhe admiro muito como atleta (quem dera chegar perto desse pace!) e também como pessoa. É sempre uma honra ter você participando dos eventos e uma satisfação encontrá-lo nas provas por aí. Muita saúde, paz e sucesso, sempre!

    PS: o texto, pra variar, está excelente. Parabéns! ;)

    ResponderExcluir