quinta-feira, 21 de maio de 2015

CORRIDA ÁDRIA SANTOS 2015 - 17/05/2015

Era uma vez, em um lugar muito distante havia um reino. As pessoas corriam alegremente sem esforço algum e quase deslizavam no chão que era macio como o algodão. Ninguém suava, todo mundo conseguia conversar e beber água enquanto corria. Ninguém tinha desafio com a corrida e nem calorias pra queimar. Ninguém ficava apreensivo e nem tinha vontade de ir ao banheiro antes da largada. Ninguém era tentado a desistir no meio de uma prova e não conhecia a sensação de explodir de alegria no final. Era tudo tão natural e pleno. Uma chatice sem tamanho.
Ainda bem que esse reino não existe. Ainda bem que a corrida de rua continua sendo essa mistura de sensações. Eu mesmo já passei sufoco correndo, já passei algum sufoco antes de correr também. E vi gente gritando o nome daquele amigo "Hugo" no final de uma prova... Corrida é isso, superação. O resto é ficção.
Domingo passado tive o privilégio de participar do evento de rua da amiga Ádria Santos. Ela mesma, simplesmente a maior medalhista feminina paralímpica do Brasil. É verdade que este privilégio eu tive que dividir com mais de 400 atletas, e tivemos todos a mesma emoção.
O cartaz da festa
O clima estava bom e chegou a cair uma garoa no início da prova. O problema é que com a umidade do ar da nossa cidade o sol que dava pinta de aparecer ia fazer o radiador de muita gente ferver. Mas daí o Rafael falou pra todo mundo que ia servir um risoto na casa dele e convidou a galera pra ir lá comer (abaixo).
- O último que chegar lava os pratos!!!
Não, não, é brincadeira pessoal.
A verdade é que foi uma corrida bem disputada. O percurso todo plano propiciou que a prova fosse rápida e o bom nível dos corredores apurou ainda mais a chegada uns dos outros. Que digam os amigos Rafael Falcone e Lucas Moreno.
- O Lucas ganhou por um nariz.
Tenho percebido muita evolução no desempenho de atletas que conheço há mais tempo. E tenho conhecido muita gente que está chegando a este universo de corridas só agora, alguns corredores, inclusive, já treinados. É que o hábito de correr independe de a pessoa querer participar dos eventos organizados. Só que isso é o mesmo que possuir um kart e brincar só no quintal, ou ter uma prancha e não sair da piscina. Recomendo botar os cascos pra rodar e ter uma chegada triunfal como a dos amigos Lucas e Rafael. Tá certo que não precisa ser tão triunfal assim... 
Outra vantagem que a gente tem quando participa das corridas de rua é o povo todo que a gente conhece e vai guardando debaixo de sete chaves, dentro do coração... no lado esquerdo do peito... como dizia a canção e coisa e tal... 
Com o Maneca, o Jeferson e o Silvano
  Amizade é tudo...
Odenir, Weber, Juliano, Luis, Rinaldo e Fernanda
"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha." (Coríntios)
Ah! Esses olhos verdes!
Os encontros que a corrida de rua promove faz dela uma atividade física de caráter social. Além de gerar empregos também. Como no caso do meu amigo Adriano, que conseguiu um "bico" de tesoureiro na premiação da prova:
- Não esquece de cruzar o cheque pra depósito meu filho.
Falando em pódio, também passei por lá, mas sem remuneração. É que eu andei assinando muitos vales durante o mês...

Não tem dinheiro que pague mesmo a sensação de dividir o pódio com os amigos. Não é isso Cleiton?
Terceiro lugar na categoria 35/39 anos dos 10 km
A Corrida Ádria Santos deixa um gostinho de "quero mais" e se consolida no calendário anual das provas mais populares e aguardadas da região.
Não bastasse a sua aprovação arrebatadora em meio aos corredores ainda foram disponibilizadas mais de 1600 fotos gratuitamente. Como diz em joinvillês: "Fiquei de cara!"
Abaixo alguns amigos novos e "antigos" retratados pela lente apurada do competente Rodrigo Philipps.
Valeu galera. Até a próxima!






















6 comentários:

  1. Muito bom adorei, obrigada pela foto em seu blog uma honra 👏👏👏 até a próxima 😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo que tenha gostado Joce. Até a próxima sim. Abraço.

      Excluir
  2. Eu comecei a correr em 2011, sempre buscando superação de forma tímida diante dos profissionais e de quem realmente treina buscando evolução prova a prova. Gostaria de ter mais força de vontade para treinar. Porém estou contente com meus tempos nas corridas...Fico contente em acordar cedo, ir lá e fazer o meu melhor, mais contente ainda de ter a honra conhecer atletas numa crescente como você e ser chamado de Amigo, estar sofrendo no meu limite durante a prova e ser incentivado por você que já estava quase dando uma volta em cima de mim...
    A propósito, Show de Corrida seu Blog! Parabéns pela performance nas corridas e ainda ter vontade de compartilhar com todos suas conquistas aqui no Blog! Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manéca, essa troca de incentivo é que nos mantém firmes no propósito de correr continuamente. Saiba que me sinto fortalecido nessa relação também. Parabéns a você também por seguir em frente. Grande abraço.

      Excluir
  3. Que lindo relato da corrida amigo!! Tem até uma foto de uma corredora que é a minha cara kkkk é achei que essa de boné branco e bermuda roxa fosse eu!! Mas achei lindas as fotos e muito bem escrito o relato!! Parabéns!! Além de corredor, és um excelente escritor!!!

    ResponderExcluir
  4. Que lindo relato da corrida amigo!! Tem até uma foto de uma corredora que é a minha cara kkkk é achei que essa de boné branco e bermuda roxa fosse eu!! Mas achei lindas as fotos e muito bem escrito o relato!! Parabéns!! Além de corredor, és um excelente escritor!!!

    ResponderExcluir