domingo, 8 de março de 2015

RESUMÃO

Não sei bem certo quando me interessei pela corrida de rua. Lembro vagamente de uns treinos desgastantes e não muito freqüentes, acho que em 2010. Éramos eu e meu irmão Juliano, a quem atribuo o meu ingresso neste universo de passadas. A primeira e única prova daquele ano aconteceria em 16 de maio. Era a segunda edição da corrida e caminhada Todos pelo Diabetes. Não me esqueço da ilusão de quando larguei forte acompanhando os corredores da elite pelos primeiros 100 metros. Eu não fazia ideia do quanto aprenderia ainda (risos). Tive que caminhar em algumas partes do caminho porque o fôlego teimava em faltar. Percebia aos poucos que não estava tão preparado quanto achava antes e que correr não se resumia a dar piques. Na verdade, eu queria que aquilo acabasse o mais rápido possível. Era o que eu queria.
Em 2011 foram oito provas. Eu continuava fraco das pernas e garimpava o fôlego, mas ia me habituando aos poucos à pompa das corridas. Ia percebendo alguns rostos se familiarizando e acho que comecei a ficar conhecido também, ou não.
Treze foi o número de corridas no ano de 2012. Com uma distribuição melhor entre as datas das participações fui criando o hábito de me preparar melhor pra cada evento. É verdade que ainda não era um exemplo de disciplina, mas já aceitava bem pagar com a fadiga pelas vezes que tinha gazeado os treinos. Se você quer manter uma rotina de treinos passe longe do sofá e não ligue a TV, nem por um minuto.
4ª Edição Corrida e Caminhada Todos pelo Diabetes (2012)
Em 2013 escancarei, foram 22 corridas. Foi na edição da corrida rústica Cidade de Araquari daquele ano que participei pela primeira vez em uma prova de 10 Km. Me senti o máximo naquele 14 de abril. Depois correria de novo a mesma distância em Jaraguá do Sul, nos circuitos do SESC e da Unimed, e em outras provas até o fechar o ano preferindo correr dez a correr cinco quilômetros.
Meia Maratona de Joinville 2013 - Distância alternativa
De todos, o ano de 2014 veio arrebentando. Conseguimos, eu e meu irmão, fechar uma parceira com a Ecoville Brasil logo no início do ano. Em fevereiro já estávamos correndo uniformizados na primeira prova da temporada, a corrida rústica do Kartódromo de Joinville.
Logo em nosso segundo compromisso, em 30 de março na corrida de aniversário de 100 anos do América Futebol Clube, aconteceu de meu irmão sofrer um mal súbito já finalizando a prova. Dali foram 10 dias no hospital e o seu afastamento das pistas por um bom período. Balancei naquele momento, mas não caí. Foi quando pude contar com o reforço do amigo Marquinho formando a dupla Ecoville comigo.
Em 27 de abril corri minha primeira prova de meia maratona. Mas apesar da satisfação com o desafio superado, nada marcou mais do que a perda de um companheiro de corridas, o Seu Donato. Ele chegou a completar os 21 Km e depois passou mal e foi levado ao hospital, onde ficou alguns meses internado não resistindo ao infarto. Não o conhecia bem, mas ele era participativo nas corridas. Sempre o via com o grupo de atletas da Tupy.
Algum tempo e quilometragem depois eu fechava o primeiro semestre com 11 provas a mais no currículo. Isso dá uma boa noção de como foi intensa a segunda metade do ano, levando em conta que fechei 2014 com 33 corridas. Ou seja, dobrei o ritmo de participações de julho a dezembro.
Maratona de Revezamento de Bal. Camboriú 2014
Enfim, esse é um resumo muito “catado” do que as corridas de rua me propiciaram até aqui. Tem muita coisa por vir em 2015, e muita história pra compartilhar com os amigos. Por exemplo, a minha estreia em maratonas e a marca de 100 provas. Pretendo correr em Porto Alegre em Junho e no início de Agosto completar os 42,195 km da Uphill Marathon da Mizuno, na Serra do Rio do Rastro. Quanto à centésima vez correndo ainda não sei onde será, mas bastarão 23 marcas no ano (22 na verdade, porque corri a Riomafra em 22/02/2015).


Alinhados os fatos, nos vemos em breve pelas corridas da vida. Um abraço. 

2 comentários:

  1. Marciano, quero te desejar muita saúde e sucesso nas corridas, assim como no seu blog também. Também corro, pedalo, remo e tento sempre estar participando de alguma atividade ao ar livre. Escrevo o blog Atitude Joinville e manter um blog atualizado não é nada fácil. No meu caso ele ajuda para eu não parar com os treinos e ter alguma coisa nova para postar toda a semana. Quero lhe parabenizar pela dedicação e força de vontade fazendo aquilo que você gosta e lhe desejo boa sorte. Quem sabe a gente tem um tempinho para conversar na meia maratona ou em outra corrida qualquer. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jeferson! Obrigado pelas palavras de apoio. Tenho essa noção de que manter um blog atualizado requer compromisso e disciplina. Assim como você, imagino que essa busca pelos temas e pelas atualizações vai fazer renovar as energias e manter o foco na minha prática da corrida de rua. No mais, a gente conversa sim. Obrigado mais uma vez e um grande abraço.

      Excluir